Unacon, administrada pelo INDSH em Tucuruí, cria Núcleo de Segurança do Paciente
3 de maio de 2018
Centro Integrado de Reabilitação é inaugurado nesta quarta-feira, 30, em Belém
30 de maio de 2018

A Gestão Ambiental do INDSH em cinco perguntas e respostas

Como funciona a área de Gestão Ambiental do INDSH?

Seguimos um Manual de Boas Práticas Ambientais e nove princípios biocêntricos. O INDSH procura agir localmente de forma integral, porque sabe que as consequências sempre são globais.

Quais são os programas socioambientais oferecidos pelo Instituto? 

Um projeto comum a todas as unidades é o Selo Ouro, outorgado pelo Centro de Estudos de Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV/SP) pela divulgação de relatórios de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). São os únicos hospitais públicos do país a possuírem tal certificado, com base no Greenhouse GAS Protocol (GHG), auditados e principal metodologia utilizada para estabelecer normas de contabilização e reporte de emissão de GEE.

Quais benefícios esses programas trazem para as instituições administradas? 

Os benefícios são inestimáveis já que a gestão da emissão do carbono equivalente é a ação pode manter a vida dos seres humanos como conhecemos hoje. O hospital do futuro certamente será de baixa intensidade de carbono. Segundos estudos da Organização das Nações Unidas, o aquecimento global está ligado a ciclos violentos de seca, inundações, multiplicação de vetores causadores de doenças, aumento de patologias em idosos e crianças, desnutrição.

De que maneira os programas socioambientais auxiliam na gestão das instituições de saúde?

Em algumas unidades, temos programas de hortas orgânicas, cozinhas verdes e outras ações que melhoram a qualidade de vida de colaboradores e pacientes e reforçam nosso papel ambientalista. Esse projeto, supervisionada por nutricionistas, ocorre por exemplo no Hospital Regional Público do Marajó, em Breves (PA). Todos os nossos projetos tem alcance sistêmico.

Quais os nove princípios biocêntricos praticados pelo INDSH?

Estes princípios, criados pelo INDSH, são ‘norteadores decisórios’, alinhados com as mais recentes descobertas cientificas sobre o meio ambiente, de acordo com Painel Governamental de Controle do Clima, da ONU.

1-  Praticar sempre a abordagem sistêmica.

2-  Promover o consumo racional dos recursos renováveis e não renováveis.

3-  Incentivar o consumo consciente.

4-  Gerenciar todos os resíduos produzidos.

5-  Gerenciar os impactos dos resíduos no meio ambiente.

6-  Buscar sempre novos conhecimentos.

7-  Valorizar, conservar e preservar as riquezas regionais.

8-  Promover a liderança inovadora e participativa.

9-  Ser agente de educação ambiental, incentivando sempre as reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *